Nosso Blog

Informações úteis para você ficar atualizado

Enxaqueca na infância sintomas

Enxaqueca na infância

Entenda um pouco mais sobre a enxaqueca na infância e porque ela ocorre nessa faixa etária

A enxaqueca é um quadro comumente presente na fase adulta, entretanto ela também se manifesta na infância. Diferente do que se pensa, as dores de cabeça em crianças, quando frequentes, não são a mesma coisa que um quadro de enxaqueca infantil.

A cefaleia, mais conhecida como dor de cabeça, é apenas um dos sintomas da enxaqueca infantil. Alguns sintomas como foto e fonofobia, náuseas, vômitos, entre outros também podem ser característicos desse quadro.

A cefaleia geralmente se manifesta de duas formas principais na criança, a primeira é a cefaleia tensional e a segunda é na enxaqueca infantil. Compreender as diferentes manifestações desses quadros é essencial para saber quando procurar um neurologista.

Além disso, é importante saber que a enxaqueca infantil pode ser desencadeada por diversos gatilhos comportamentais. Consequentemente, pode levar a manifestação dos sintomas característicos dessa doença, como as dores de cabeça em crianças.

Qual a diferença entre dores de cabeça em crianças e enxaqueca na infância?

A Cefaleia, ou dor de cabeça, é um sintoma que pode se manifestar de várias formas e em diferentes regiões da cabeça. Além disso, pode se apresentar em episódios agudos ou de forma crônica.

Os quadros agudos de cefaleia acontecem de forma abrupta, intensa e pulsátil, e podem ser recorrentes ou não. Já as formas crônicas podem ser progressivas ou não.

As formas crônicas progressivas mostram piora gradual da intensidade e frequência ao longo do tempo, e, frequentemente, estão associadas a outros sintomas, como náuseas e vômitos, mudanças de humor, sonolência, entre outros.

As formas crônicas não progressivas, apesar de também se apresentarem diariamente, ocorrem de forma leve a moderada e não estão associadas a outros sintomas. Esse quadro também é comumente conhecido como cefaleia tensional.

A enxaqueca infantil, por sua vez, é uma doença e se manifesta de forma cíclica. Apresenta uma forma crônica da cefaleia e está relacionado a outros sintomas. 

Além disso, em geral, há um forte componente hereditário, que contribui para a manifestação das crises enxaquecosas e do quadro de dores de cabeça em crianças.

Quais as causas da enxaqueca infantil?

Apesar de ser majoritariamente causada por fatores genéticos, existem outros diversos gatilhos que podem desencadear o sintoma mais característico dessa doença, as dores de cabeça em crianças. Entre eles estão a alimentação e o estilo de vida. 

No grupo dos alimentos, vale destacar alguns dos principais vilões para os enxaquecosos:

  • Queijos e outros alimentos que levam esse ingrediente, como pizzas;
  • Carnes industrializadas, tais como: salsichas, linguiças, salames e etc;
  • Cafeína: presente não só no café, mas também em alguns refrigerantes e energéticos;
  • álcool;
  • Glutamato: presente em alguns alimentos industrializados;
  • Miscelânia: presente em chocolates, nozes, fermentos, alguns adoçantes, entre outros alimentos;

Além disso, existem componentes do dia-a-dia que também podem desencadear os quadros de dores de cabeça em crianças tais como:

  • Odores fortes, como perfumes
  • Luminosidade intensa
  • Barulhos intensos
  • Mudanças climáticas
  • Alterações no padrão ou privação de sono
  • Intervalos longos entre refeições e/ou jejum

Esses dois tipos de influências acometem tanto adultos, quanto crianças e devem ser evitados por quem apresenta quadros de cefaleia intensa.

Enxaqueca infantil tem cura?

Pelo fato de ser uma doença hereditária, quando a causa é primária, ela não tem cura. Entretanto, algumas mudanças no estilo de vida e a intervenção médica podem reduzir drasticamente as dores de cabeça em crianças e os outros sintomas associados à enxaqueca infantil.

Mudanças no estilo de vida

Uma das mudanças consiste em evitar situações e alimentos como os citados no tópico anterior. Além disso, a prática de exercícios moderados, também tem se mostrado como um fator colaborativo para a redução dos quadros de dores de cabeça em crianças e adultos. 

A inserção de práticas saudáveis na rotina da criança é essencial tanto para amenizar os gatilhos quanto para melhorar a qualidade de vida e saúde a longo prazo, tendo impactos positivos até mesmo na fase adulta.

Auxílio médico

Procurar um auxílio de um neurologista é muito importante. Isso porque a enxaqueca infantil pode piorar ao longo dos anos, de maneira que as dores de cabeça em crianças e os outros sintomas associados vão se agravando.

Com isso, a intervenção e a minimização dessas manifestações vão se tornando cada vez mais difíceis, o que pode reduzir a qualidade de vida dessa criança. Isso porque a enxaqueca, de modo geral, é considerada uma doença incapacitante e no caso do público infantil não seria diferente.

Geralmente, esses quadros de intensas dores de cabeça em crianças podem levar a incapacitação do indivíduo de realizar diversas tarefas do dia-a-dia, tais como estudar, interagir com os colegas, entre outros.

Tudo isso prejudica o desenvolvimento e o bem-estar da criança e, por isso, ao aparecerem os sintomas é importante sempre procurar ajuda médica.

Na Neurologia integrada, você pode se consultar com o Dr. Bruno Funchal e avaliar o quadro do seu filho(a), de maneira a evitar prejuízos maiores à saúde dele(a).

Auxílio psicológico e outros cuidados com a saúde mental

Além disso, para os casos de dores de cabeça em crianças tensionais é importante avaliar o estado psicológico do paciente. Isso porque situações de estresse e ansiedades, entre outras alterações neurológicas, podem estar relacionados a esse quadro.

Apesar de haver um imaginário de que crianças são sempre felizes, elas também passam por momentos de tensão e, quando estes são frequentes, manifestações físicas podem ser um indicativo para investigar as causas. Cuidar da saúde mental também pode auxiliar na diminuição da enxaqueca infantil.

Estratégias complementares como meditação, ioga e outras atividades que auxiliam na diminuição do estresse e da ansiedade, também podem ser uma alternativa para melhora das dores de cabeça em crianças tensionais.

De um modo geral, a intervenção e o tratamento para a enxaqueca infantil e para os quadros de dores de cabeça em crianças é plural e envolve desde mudanças no estilo de vida, até intervenções médicas e psíquicas.

Assim, será possível auxiliar na melhora do bem-estar e do desenvolvimento do seu filho ou sua filha sem a presença de dores de cabeça em crianças ou quaisquer outros sintomas da enxaqueca infantil. Saiba mais no Instagram.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

16 respostas

  1. Minha filha diz que quando ela está é. Sala de aula as crianças falam todas ao mesmo tempo, gritam ela começa a ter dor de cabeça. Ela está seguindo uma dieta que o pediatra mandou de cortar esses alimentos com queijo, pizza, leite e até banana.

    Mas no caso dela sempre reclama quando vem da escola que os alunos conversa demais e muit alto dói a cabeça dela.

    1. A Enxaqueca realmente pode ter alguns desencadeantes como os citados por você. Sugiro buscar um neurologista pediátrico para confirmar o diagnóstico, afastar os sinais de alerta e iniciar o tratamento, proporcionando para ela melhora da qualidade de vida e evitando impacto o desempenho escolar! Abraços!

    1. Boa noite.
      O vertix é uma das medicações indicadas para prevenção da enxaqueca, usada principalmente em crianças.
      O objetivo do tratamento é reduzir a frequência de dores no mês, porém infelizmente mesmo em uso da medicação pode sim ter algumas crises de escape.
      Sugiro retornar no neurologista para rediscutirem as opções de tratamento disponíveis! Abraços!

  2. Minha filha de 5 anos vem apresentando cefaleia intensa na região da testa seguida de náusea e vômito, esse anos teve 4 crises, percebi que ela odeia som alto, diz que dói a cabeça. E agora lendo os artigo percebi que pode ser enxaqueca, ela é ansiosa, e a ansiedade é de família no caso dela. Pode ter relação tb.

  3. Minha filha tem 7 anos e já tem 3 meses que passou a reclamar de dores fortes, como ela diz batidas intensas do lado direito. Vamos ter a primeira consulta com o neuro para avaliar. Ela tem uma alimentação equilibrada, e não temos ninguém na família com crises assim. Estou preocupada.

  4. Minha filha já teve mais de 20 episódios entre ano passado e esse ano. Nos últimos 15 dias foram 3 episódios. Eu não aguento mais o sofrimento. Preciso de uma luz no fim do túnel!

    1. Olá Ana, a enxaqueca na infância tem tratamento que costuma ser muito eficaz. Sugiro buscar um neuropediatra que certamente trará grande melhora da qualidade de vida de sua filha, dando-lhe a oportunidade de pleno desenvolvimento físico, cognitivo e emocional.

      1. Olá. Minha filha tem 13 anos e já teve 3 episódios de enxaqueca… dessa última ela ficou bem mal, com muito vômito sonolência.. e dormência na língua e mãos. Seria o caso de buscar ajuda médica né?

  5. Minha filha de 5 anos está se queixando de dores de cabeça a pelo menos três dias, mas reparei q nesses dias a alimentação dela não foi tão boa quanto deveria ser.

  6. Bom dia minha filha reclama muito de dores de cabeça, o pai tem enxaqueca. Levei ao neuro pediatra e ele receitou pamelor, será seguro ,pois vi que não tem eficácia em crianças e é somente recomendado para adultos, o que fazer.

  7. Meu filho sofre muito, ele tem 9 anos e tem enxaqueca. É muito triste pra mim como mãe ver ele passar por isso. Sempre que vai dar crise começa com um simples “MÃE MINHA CABEÇA ESTÁ DOENDO” a partir daí posso esperar que vai ser difícil…. ele vomita constantemente, tem fotofobia, grita e chora demais. Tem horas que o desespero dele é tanto que chega a pedir a morte. Não é fácil. Hoje por exemplo está em crise a segunda em menos de um mês. Antes era uma vez ao ano mais Infelizmente esse ano começamos diferente.

  8. Tenho um menino de 7 anos que tem dores de cabeça fortes tem vezes que chega vomita e reclama mais quando tá na sala de aula já reparei tbm que ele não pode ficar mas de três horas sem comer na escola tá sendo muito difícil vamos consultar com neuro pediatra lendo o artigo pude entender melhor vejo que são várias crianças na mesma situação que ele já não estava sabendo mais o que fazer ou pensar

  9. Meu filho tem 6 anos mas já faz um tempo que venho notando que ele se queixa de dor de cabeça não e sempre mas quando o som tá alto ele diz que começa a doer quando estamos conversando ele diz não falem alto minha cabeça começa doer e assim mas o dr encaminhou ele a nutricionista porque está acima do peso e vamos mudar a alimentação caso não resolver terei que levar ao neuro?

  10. Olá!
    Meu filho tem 11 anos e a pouco mais de 1 ano ele passou a apresentar casos de fortes dores de cabeça associado a febre (apenas 1 dia), vômitos, formigamento nos pés e muito sono.
    A pediatra encaminhou para o neuropediatra avaliar como sintomas de enxaqueca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *